Polícia diz que Tomás Leite é o fake #FiqueEmCasa contratado por Joice Quirino para difamar adversário

Depois de meses de investigação, a Polícia Civil descobriu quem é o boateiro conhecido como #FicaEmCasa”. Ele é Tomás Rodrigues Ferreira Leite, conhecido por Tomás Leite, presidente do partido Republicanos alugado para apoiar Joice Quirino. Para atacar seus adversários Joice Quirino comprou e entregou para Tomás Leite o chip pré-pago de número 31 9 99648-4839.

Para se esconder, Joice Quirino colocou o chip no CPF de um pobre coitado de Ipatinga, mas a polícia descobriu a tramóia. O chip estava instalado no telefone de Tomás Leite, aqui mesmo, da sua casa na Rua Maria Guerra, no Bairro Jardim América, de onde ele praticava as agressões aos adversários da candidata Joice Quirino.

As notícias falsas que Tomás Leite publicou com seu nome fake de de #FicaEmCasa” foram reproduzidas pelo candidato Breno Orleans, colega de Joice e financiado pelo primo do Deputado Professor Wendell Mesquita, que é quem financia a campanha secreta e suja que Joice Quirino faz com seu exército de mercenários.

Os cabeças deste gabinete do ódio são Joice Quirino, Marcelão e Dimas da Padaria, mas a Joice fica por trás dos panos para o eleitor não saber que ela é má e fingida. Agora que o principal fake deles, o tal de #FiqueEmCasa que a polícia descobriu que era o Tomás leite, eles estão usando outros fakes.

Conheça alguns deles:

Se você ainda não ouviu falar em alguém deste exército de mercenários pagos para para operar o gabinete do ódio e divulgar fake news, esta semana você vai ouvir, pois eles vão entrar a todo vapor com a divulgação de mentiras. Uma atrás da outra, de segunda até domingo. Prepare seus ouvidos para o tanto de boatos que vão circular.

Devido ao trabalho da polícia, o #FiqueEmCasa está descartado, mas a tropa de choque da mentira está mais viva do que nunca. Por isto, eleitor, fique atento, pos a hashtag agora é #FiqueEspertoPoqueElaEstaEnganandoVoce.

Pena para o crime cometido por Tomás Leite e os outros boateiros: 2 a 6 anos de prisão.